Como lembrar de tudo o que você aprende?

Conheça cinco estratégias para memorizar tudo o que você aprende

Se você quiser aprender alguma coisa, você precisa de dois tipos de conhecimento prévio:

• Conhecimento sobre o assunto em mãos, como matemática, história, ou programação

• Conhecimento sobre como a aprendizagem realmente funciona

A má notícia: O nosso sistema de ensino, muitas vezes ignora um deles. Isso é problemático, uma vez que a sua capacidade de aprender é um grande preditor do seu sucesso na vida, desde alcançar objetivos em termos acadêmicos à ser promovido no trabalho. Para ter sucesso no longo prazo, você tem que dominar muitas habilidades.

“Pais e educadores são muito bons em transmitir o primeiro tipo de conhecimento,” diz a escritora de psicologia Annie Murphy Paul. “Nos sentimos à vontade para falar sobre a informação concreta: nomes, datas, números, fatos. Mas a orientação que oferecemos no próprio ato de aprender – os aspectos “metacognitivos” da aprendizagem – é mais incerta, e vemos os resultados disso.”

A saber, a pesquisa em educação mostra que os alunos com baixos resultados têm “défices substanciais” em sua compreensão das estratégias cognitivas que permitem que as pessoas aprendam bem. Isso sugere, segundo Annie Paul, que parte do motivo pelo qual estudantes vão mal na escola é porque eles não sabem muito sobre como a aprendizagem realmente funciona.

É uma questão cultural.

Henry Roediger III e Mark McDaniel, psicólogos da Universidade de Washington em St. Louis e co-autores, juntamente com Peter C. Brown, do livro “Make It Stick: The Science of Successful Learning” (“Faça ficar: A ciência da aprendizagem bem sucedida”, em tradução livre), dizem que “como ensinamos e estudamos é em grande parte uma mistura de teoria, sabedoria e intuição.”

Portanto, vamos cortar a sabedoria. Aqui estão estratégias de aprendizado que realmente funcionam.

1. Obrigue-se a recordar

A parte menos divertida de aprendizagem eficaz é que é difícil. Na verdade, os autores de “Make It Stick” afirmam que quando a aprendizagem é difícil, você está fazendo o seu melhor aprendizado, da mesma forma que levantando um peso no limite de sua capacidade faz você fica mais forte.

É simples, embora não seja fácil, tirar proveito disso: force-se a recordar um conteúdo.

Os psicólogos chamam isso de “efeito de teste”: Quando você continua tentando se lembrar de uma informação, você interrompe o processo de esquecimento e ajuda a cimentar a lembrança de que a informação em seu cérebro. Cartões são um grande aliado nessa empreitada, uma vez que eles exigem que você forneça respostas.

Uma estratégia ainda melhor é espaçar suas tentativas de recordar as informações, em vez de repassá-las no espaço de poucos minutos. Dessa forma, você permite que alguns esquecimentos aconteçam entre os testes, o que significa que lembrar requer um esforço cognitivo maior e a memória fica mais forte.

Curiosamente, no entanto, uma pesquisa constatou que apenas 11% dos estudantes universitários praticava recordar informações enquanto estudava.

2. Não vá com calma

Mais uma vez, se resume a colocar mais esforço cognitivo.

Em um estudo, alunos que olharam palavras emparelhadas como “pé-sapato” tiveram mais dificuldade em lembrar a segunda palavra mais tarde do que estudantes que olharam para pistas como “pé-s_p_t_”. Os pesquisadores chamam esse fenômeno de “efeito de geração.”

Outra pesquisa sugere que, quando você está testando a si mesmo, você deve misturar os tipos de problemas que precisa resolver, uma estratégia conhecida como “intercalação”. Um estudo descobriu que os estudantes que trabalharam em problemas de matemática em um formato “embaralhado”, onde cada conjunto incluiu problemas extraídos de uma variedade de aulas, lembravam mais em seu teste final do que estudantes que tinham trabalhado em problemas de matemática não-embaralhados.

Dessa forma, as condições de teste são mais semelhantes à vida real, onde você primeiro tem que descobrir qual o tipo de problema que você tem em suas mãos e depois resolvê-lo. Os autores observam que a intercalação pode parecer ineficiente, e pode ser por isso que é tão raramente usado em escolas, mas em última análise, leva a uma maior retenção no longo prazo.

3. Não se engane pela fluência

Quando você estiver lendo algo e parece fácil, o que você está experimentando é a fluência, dizem os autores.

E isso só vai trazer problemas para você.

Exemplo: Digamos, por exemplo, você está no aeroporto e você está tentando lembrar qual o portão do seu vôo para Chicago. Você olha para os monitores de terminais – é B44. Você pensa consigo mesmo: Ah, B44, isso é fácil. Então você começa a andar, checa o seu telefone, e instantaneamente esquece para onde está indo.

A alternativa: Você lê o número do portão. Em seguida, vire longe do monitor e se pergunte: Qual é o portão? Se você recordar que é B44, você está pronto para ir.

4. Conecte a coisa nova à coisas velhas

“Quanto mais você puder explicar sobre a forma como seu novo conhecimento se relaciona com seu conhecimento prévio”, dizem os autores, “mais forte a sua compreensão do novo aprendizado será e mais conexões você cria que irão ajudá-lo a se lembrar mais tarde.”

Quando você está tecendo em novos fios em sua rede pré-existente de conhecimento, você está elaborando.

Uma ótima técnica é criar exemplos da vida real de princípios que você acabou de descobrir. Se você acabou de aprender sobre rima inclinada, você pode ler poemas que a utilizam. Se você acabou de estudar sobre a transferência de calor, você poderia pensar na forma como uma xícara de café morna dispersa o calor em suas mãos em um dia frio de inverno.

5. Refletir, refletir, refletir

“Quando as pessoas têm a oportunidade de refletir, elas experimentam um aumento na auto-eficácia”, disse o professor da Harvard Business School Francesca Gino. “Eles se sentem mais confiantes de que podem conseguir as coisas. Como resultado, eles colocar mais esforço no que eles estão fazendo e no que eles aprendem.”

Embora refletir possa parecer levar a trabalhar menos, na verdade, pode levar a alcançar mais objetivos.

Fonte: Business Insider

,