Seria a aprendizagem on-line o futuro da educação?

Em uma pesquisa recente, quase 80% dos jovens disseram que já fizeram um curso online

No passado, se você quisesse obter uma qualificação ou simplesmente aprender algo novo, você se inscreveria para um curso em uma instituição de tijolos e argamassa, pagaria todas as taxas relevantes e, em seguida, participaria fisicamente das aulas. Isso foi até a revolução de aprendizagem on-line começar.

No ano passado, o mercado de e-learning valeu a enorme quantia de US$166,5 bilhões. Estima-se que esse valor vai crescer para US$255 bilhões até 2017. Seu crescente valor financeiro é igualado apenas pelo número crescente de estudantes que optam por fazer um curso on-line.

Na última pesquisa Global Shapers, de 25.000 jovens de todo o mundo, 77,84% dos entrevistados relataram ter participado de cursos on-line no passado. Sendo assim, seria a aprendizagem on-line o futuro da educação?

O que é a educação on-line?

Vamos começar olhando para o que é isso exatamente. Educação on-line assume duas formas principais. A primeira: cursos onde os alunos matriculados no ensino superior têm aulas on-line oferecidos pela instituição ou outras instituições de educação superior para obterem créditos. Alguns casos bem conhecidos incluem o MIT OpenCourseWare e o Harvard Online Learning.

A segunda forma de educação on-line consiste na formação profissional e preparação para certificação. Tal aprendizagem on-line é geralmente dirigida a profissionais ou estudantes que procuram formação ou que se preparam para exames de certificação. Cursos populares incluem formação em línguas estrangeiras, contabilidade e enfermagem.

Na pesquisa Global Shapers, quase metade (47,79%) dos entrevistados disseram que estariam dispostos a buscar a certificação em determinadas profissões, incluindo a certificação on-line, uma vez que começaram suas carreiras profissionais. Isso remete novamente ao grande potencial e mercado para a educação online.

Problemas de adaptação

O crescimento da educação on-line não aconteceu sem desafios. Desde a sua criação no início dos anos 1960, a educação on-line tem sido constantemente criticada por sua aparente falta de controle de qualidade, particularmente a escassez de professores de alta qualidade.

Também foi dito que a aprendizagem on-line priva os alunos de alguns dos benefícios de estar em uma sala de aula, como a interação professor-aluno, bem como outras coisas, como uma conexão de internet confiável e fornecimento de electricidade.

Superando os desafios na aprendizagem on-line

Independentemente destas preocupações, a educação on-line tem feito grandes progressos nos últimos anos. Para começar, mais e mais instituições de ensino superior introduziram ou reforçaram suas plataformas de educação on-line, as principais considerações sendo a redução de custos para os estudantes e a expansão do recrutamento em face da crescente concorrência. Como resultado, a educação on-line tornou-se uma parte cada vez mais importante do ensino superior, com faculdades e universidades usando membros do corpo docente mundialmente famosos e equipes de apoio profissional para promover cursos on-line.

Para abordar a questão da qualidade do ensino, um número de fornecedores se voltaram para a classificação de usuário e de avaliação interna. O Star Teacher, por exemplo, tornou-se um mecanismo de avaliação de professores popular na China e Coreia do Sul, dois dos maiores mercados de e-learning.

No geral, tal progresso parece ter aliviado a dúvida sobre a qualidade do ensino e 40,56% dos entrevistados na pesquisa Global Shapers disse que a educação on-line é tão forte quanto o ensino tradicional em sala de aula e outros 11,76% dizendo que não saberiam responder.

A maturidade da tecnologia da educação também permitiu que a educação on-line se tornasse mais flexível e acessível do que nunca. Tudo o que um aluno em potencial precisa é de um computador, uma conexão com a internet e algumas habilidades básicas em TI.

Quanto à perda de características tradicionais da sala de aula, a educação on-line tem se recuperado por meio de sua flexibilidade e baixo custo. Os alunos têm acesso às suas gravações de “sala de aula” sempre que quiserem, o que lhes permite revisar ideias e rever as lições como for conveniente. Alguns alunso também têm apontado que, longe de ser uma experiência de aprendizagem inferior, as lições um-para-um que muitas vezes são parte da educação on-line fizeram com que a interação professor-aluno alcançasse um novo nível, onde o aluno está recebendo toda a atenção e a interação.

Além disso, alguns argumentam que a educação on-line tem ajudado significativamente a tornar a educação mais acessível, alcançando assim o objetivo de “educação para todos”, um tema que se tornou um mandato global desde os anos 1990. Enquanto um grande número de países fizeram progressos significativos na sua oferta de educação básica a todos os cidadãos, ainda existem muitas pessoas – que muitas vezes vivem em áreas remotas – que não tem acesso à educação.

Mas, com um crescente número de “internautas” em áreas rurais, em muitos países em desenvolvimento, a educação on-line pode ser usada para alcançar o último grupo de cidadãos sem acesso adequado à educação e, portanto, cumprir o “Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4” relativo à educação de qualidade.

Educação para todos

Sem dúvida, com a disseminação ainda maior da tecnologia e aprofundamento do mandato global da educação para todos, o potencial da educação on-line para se tornar complementar – ou em alguns casos alternativa – à educação tradicional não pode ser negligenciado.

Em vez de se preocupar se a educação on-line é tão boa quanto os formatos mais tradicionais, talvez devêssemos focar em como podemos usá-la para oferecer educação de qualidade para as pessoas em todo o mundo, particularmente os pobres e carentes.

Esta não será uma tarefa fácil – a educação on-line tem uma necessidade extrema de regulamentação. As questões pendentes incluem a questão da acreditação e controle de qualidade. Isso fica ainda mais complicado quando se consideram as dimensões internacionais. Durante anos, crédito internacionais ou acreditação de diplomas têm sido um grande problema para vários sistemas de ensino. A flexibilidade da aprendizagem on-line tornará esse problema ainda maior.

Os obstáculos são reais, mas não insuperáveis. E a oportunidade de fazer cumprir a promessa de educação para todos é grande demais para se perder.

Fonte: World Economic Forum