UFRGS: Leituras obrigatórias para o Vestibular 2018

Entre os autores incluídos na relação deste ano está Carolina Maria de Jesus, com o livro “Quarto de despejo”
Álbum Elis & Tom, de 1974, ingressou na lista do concurso – Foto: Reprodução

Álbum Elis & Tom, de 1974, ingressou na lista do concurso – Foto: Reprodução

 

A UFRGS divulgou na quinta-feira, 30 de março, a relação de leituras obrigatórias para o Concurso Vestibular 2018. As novas obras que passam a integrar a lista são: os livros A máquina de fazer espanhóis, de Valter Hugo Mãe; Quarto de despejo, de Carolina Maria de Jesus; Diário da queda, de Michel Laub; e o álbum/disco Elis & Tom, de 1974.

O texto de Carolina Maria de Jesus traz à lista de leituras obrigatórias uma autora que representa a mulher negra, excluída, que durante muitos anos não apareceu na Literatura. Além disso, trata-se de uma escrita em que a mulher é protagonista, dona da própria voz. A professora de Literatura Marcia Ivana de Lima e Silva comenta que a mineira Carolina Maria de Jesus produz a desestruturação da linguagem, não apresentando preocupação com regras gramaticais consolidadas. Quarto de Despejo, de 1963, é o primeiro livro da escritora e contém memórias de Carolina na forma de um relato-desabafo.

O Concurso Vestibular verifica os conhecimentos dos estudantes, mas também indica o caminho a seguir no Ensino Médio. É importante pensar a lista de leituras obrigatórias por esse aspecto, comenta a professora de Literatura Marcia Ivana. Nesse sentido, a inclusão de Carolina traz uma autora reconhecida sempre como marginal para dentro do cânone literário, afirma Marcia.

Michel Laub, gaúcho de Porto Alegre, representa na lista a Literatura Contemporânea, de grande aproximação ao público do Ensino Médio: jovem e urbano. O português, nascido em Angola, Valter Hugo Mãe atende a uma característica da lista de incluir autores tradicionais e contemporâneos em língua portuguesa. Mãe tem como tema de sua obra a identidade dos portugueses.

Mantendo a presença de um álbum, a lista traz neste ano o Disco Elis & Tom, de 1974. A inclusão desta obra, que tem imenso valor artístico, reforça a concepção da canção como literatura, além de destacar a ideia de álbum como obra pensada em um todo, não como músicas avulsas. O disco original de 1974 envolve duas figuras importantíssimas da música brasileira, Elis Regina e Tom Jobim, e ainda contém várias letras de Vinicius de Moraes.

Permanecem na relação:

– ERICO VERÍSSIMO – O Continente;

– CHICO BUARQUE E PAULO PONTES – Gota d’Água;

– CAIO FERNANDO ABREU – Morangos Mofados;

– CLARICE LISPECTOR – A Hora da Estrela;

– FERNANDO PESSOA – Coletânea: 1. Autopsicografia; 2. Isto; 3. Pobre velha música; 4. Qualquer música; 5. Natal…Na província neva; 6. Ela canta, pobre ceifeira; 7 Não sei se é sonho, se realidade; 8. Não sei quantas almas tenho; 9.Viajar! Perder países!; 10. Liberdade; 11. Lá fora vai um redemoinho de sol os cavalos do carrossel… (poema V de Chuva Oblíqua); 12. O maestro sacode a batuta (poema VI de Chuva Oblíqua); 13. Padrão (Mensagem); 14. Noite (Mensagem); 15. O infante (Mensagem); 16. Mar português (Mensagem); 17. Nevoeiro(Mensagem);

– ALUISIO AZEVEDO – O Cortiço;

– MACHADO DE ASSIS – Dom Casmurro

– Pe. ANTÔNIO VIEIRA: Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal Contra as de Holanda; Sermão da Sexagésima; Sermão de Santo António aos Peixes.

A UFRGS renova anualmente a listagem com a inserção de quatro títulos e a exclusão de outros quatro. A lista completa ficou assim:

Leituras Obrigatórias 2018

Para o Concurso Vestibular de 2018, será exigida a leitura prévia e completa das seguintes obras:

VALTER HUGO MÃE

A máquina de fazer espanhóis;

CAROLINA MARIA DE JESUS

Quarto de despejo;

ELIS & TOM

Álbum/Disco de 1974;

MICHEL LAUB

Diário da queda;

ERICO VERÍSSIMO

O Continente;

CHICO BUARQUE E PAULO PONTES

Gota d’Água;

CAIO FERNANDO ABREU

Morangos Mofados;

CLARICE LISPECTOR

A Hora da Estrela;

FERNANDO PESSOA

Coletânea:

1. Autopsicografia;
2. Isto;
3. Pobre velha música;
4. Qualquer música;
5. Natal…Na província neva;
6. Ela canta, pobre ceifeira;
7 Não sei se é sonho, se realidade;
8. Não sei quantas almas tenho;
9.Viajar! Perder países!;
10. Liberdade;
11. Lá fora vai um redemoinho de sol os cavalos do carrossel… ( poema V de Chuva Oblíqua);
12. O maestro sacode a batuta ( poema VI de Chuva Oblíqua);
13. Padrão (Mensagem);
14. Noite (Mensagem);
15. O infante ( Mensagem);
16. Mar português ( Mensagem);
17. Nevoeiro(Mensagem).

ALUÍSIO AZEVEDO

O Cortiço;

MACHADO DE ASSIS

Dom Casmurro;

Pe. ANTÔNIO VIEIRA

Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal Contra as de Holanda;
Sermão da Sexagésima;
Sermão de Santo António aos Peixes.

, , ,