Santa Casa e UFCSPA inauguram espaço que simula procedimentos clínicos e cirúrgicos

Comments Off

Centro de Simulação Realística, em Porto Alegre, tem manequim robô que imita os mesmos sintomas e sinais vitais de um ser humano

Construído dentro do complexo da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, em parceria com a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), o Centro de Simulação Realística Clínica e Cirúrgica será um novo espaço para treinamento de acadêmicos, residentes, médicos e demais profissionais da saúde. Inaugurado nesta terça-feira, o local tem sete ambientes com equipamentos modernos para procedimentos clínicos e cirúrgicos, em manequins feitos de plástico e resina que imitam a pele humana. A estrutura ajudará a desenvolver desde habilidades técnicas até a maneira como se portar diante do paciente.

— Para nós, o grande ganho é o aluno poder adquirir experiência antes de estar na frente do paciente. Ele estará confiante e menos ansioso. Acredito que a partir daqui a educação se transforma — comenta Gisele de Lima, supervisora de ensino da Santa Casa.

Para ser o mais fiel possível à realidade, há uma recepção, uma sala de consulta — com maca, um manequim, mesa e cadeiras — para que os alunos trabalhem a comunicação na hora do primeiro atendimento. A ideia é treinar a relação do médico com o paciente.

Uma área de simulação avançada — com um robô que imita um ser humano — reproduz diversas situações cotidianas de um ambiente hospitalar. Os cenários são criados para que os alunos atendam o paciente de acordo com a situação. Professores emitem ordens para a máquina, que recebeu o nome de Apolo, estimulando procedimentos como ressuscitação cardiopulmonar, intubação, administração de medicação intravenosa e manipulação de cateteres.

— Queremos humanizar o atendimento. Desde o “oi” na porta até o “até logo”. A simulação é para prever um eventual risco e corrigir na hora. A única coisa que não é real aqui é o paciente — explica Jorge Hetzel, diretor médico de ensino da Santa Casa.

Há ainda sala de emergência, outra de habilidades, para a simulação de suturas e procedimentos específicos, como diagnósticos por exames de próstata, vaginal e mama. Em salas de reuniões, professores e alunos podem acompanhar o que se passa em cada ambiente, através de sistemas de áudio e vídeo, ou também por espelhos.

— Os alunos vão começar a ter aula aqui a partir de hoje. A tecnologia é de alto nível e vai possibilitar o desenvolvimento de algumas habilidades como trabalho em equipe, liderança e raciocínio clínico — opina o estudante do quarto semestre de Medicina da UFCSPA Miguel Ricchetti.

Uma sala de realidade virtual, com dois robôs, é capaz de simular os mais diferentes tipos de videocirurgia.

— Atualmente, não temos como aprender a operar em pessoas de verdade. Agora temos esse aparato para podermos nos aperfeiçoar — conta Tatiana Mie Masuko, residente de cirurgia geral.

A parceria entre Santa Casa e UFCSPA teve um investimento de cerca de R$ 3,8 milhões. O complexo hospitalar entrou com a infraestrutura, e a universidade com equipamentos e manequins. As instituições pensam, ainda, em oferecer cursos à comunidade da área da saúde — entretanto, ainda não há previsão para o começo desse tipo de atividade.

Fonte: Zero Hora